quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Crente de Gaiola: Esse cara sou eu!


Meu Deus! Me dê a força pra sair da gaiola e fazer o vôo da liberdade na vida.



Pássaro criado desde pequeno em gaiola, quando vê a porta aberta, o horizonte arreganhado, e o céu como um útero sem fim e sem limite — teme, não ousa sair, prefere a pequenez de alpiste garantido do que a experiência de ter asas e voar, de ter canto e com ele seduzir, de ter penas e com elas se cobrir na chuva, de ter amigos e com eles andar em bando solto, livre, moleque e alegre; passagardaianamente feliz como nem Manoel Bandeira jamais conseguiu passagardear.

Aqui à minha volta há centenas de pássaros livres, e que vêm pela comida e água que lhes dou; e, hoje, já pelo habito que neles desenvolvi.
Ficaram habituados à liberdade amiga e interdependente!
Também tenho outros sete pássaros, todos em gaiolas. Já abri a gaiola para eles, mas eles não querem ir.

Um ousou pular fora, mas, sem saber que voava, voltou.
Apenas um papagaio que me foi dado, e que eu via que sofria numa pequena gaiola, aceitou o convite, e, durante dois dias, ficou do lado de fora, habituando-se à liberdade, até que partiu...

Vendo esses pássaros, olhando o céu e a liberdade de ser, penso nos crentes de gaiola.
A Graça é o céu da liberdade, do cuidado do Pai, da dependência do amor, da entrega a Providencia.

A Graça é a Passagarda que não existe nas gaiolas e nem nos templos. Mas quem se habitou à gaiola, teme a vida, apavora-se ante a liberdade, e prefere um exator que doa alpistes em gaiolas-celas do que o cuidado de um amor limpo e livre, e que apenas adiciona aos cuidados do Pai, o cuidado de um irmão — meu, aos meus pássaros livres.

Há alguns que já não podem mais provar a liberdade. Tornaram-se tão enfraquecidos, embora o céu os agasalhe; tão sem vôo, embora tenham asas; tão incapazes de si mesmos, embora sejam únicos; tão apavorados ante o que lhes é natural embora voar lhes seja o andar; ou seja: ficaram tão não-pássaros — que a janela aberta, para entrar e sair lhes é ameaça e risco de morte.

Crente de gaiola! O Céu te chama! A Liberdade conclama tua alma!
O Pai quer cuidar de ti ao ar livre! Tu confias?
Nele,
Caio


www.caiofabio.net
www.vemevetv.com.br

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

HÚMUS, HUMOR, HUMILDADE, UMIDADE — temas do coração!


HÚMUS, HUMOR, HUMILDADE, UMIDADE — temas do coração!

“... e por não haver umidade, secou...”— Jesus.

Umidade é essencial...

A palavra designa aquilo que está afetado pela presença da água, especialmente em estado gasoso ou vaporizado.

Umidade vem da mesma raiz de húmus, que designa o estado de adensamento de matéria orgânica carregada de fertilizantes naturais produzidos por minhocas e micro-organismos, deixando o chão fértil.

Umidade, húmus, humor...

Humor também tem seu vínculo com a mesma raiz filológica. Afinal, o que é humor senão uma atitude fértil, rica, cheia de húmus e de umidade e, portanto, aberta à vida — como o bom humor produz.

Jesus disse na parábola do Semeador, em Marcos, que a semente que produziu foi aquela que caiu em terra com umidade; humorada por húmus e humildade.

Humildade também se conecta à mesma raiz de húmus, humor e úmido.

Humildade designa o ser de atitude proativa, ensinável, acolhedora, receptiva, bem humorada, umedecida pela boa vontade; sendo assim, portanto, um ser ensinável; ou seja: humilde.

Segundo a sabedoria de Jesus na parábola do Semeador, as sementes que não vingaram foram as que caíram em terra seca, ou superficial, ou pedrada, ou mesmo saturadas de espinhos — que nascem em geral em lugares secos.

Ora, isto deixa claro que até para que alguém aproveite o Evangelho, é necessário que nele haja umidade interior, o que denota a presença de húmus/humor, húmus/humildade — ou seja: tem-se que ter a atitude interior de uma terra rica, aberta, acolhedora, umedecida, bem humorada para com a bondade de Deus. Sim, terra/coração humilde, e, portanto, ensinável e pronto para ficar prenho do sêmen do Evangelho.

Quem assim se oferece a Deus, ao Evangelho, à Palavra Semente da Vida, esse é boa terra; e em tal estado se manterá se não perder o húmus, o humor, a umidade, a humildade.

Sim, quem assim é e assim se mantém, dará fruto de crescimento no amor a 30%, a 60% e a 100%.

Nele, que nos chama a aprendermos com Ele a sermos mansos e humildes de coração,

Caio
10 de novembro de 2012 – Lago Norte – Brasília – DF

www.vemevetv.com.br // www.caiofabio.net

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Deus trabalha por nossa vida!


Sabe aquela sensação que Deus trabalha por tua vida!!!
Essa sensação é real. Ele faz assim mesmo. Os que esperam no Senhor tem suas forças renovadas como águias. Ou seja, a águia não está em pleno vigor físico sempre, existem momentos de dificuldade na caminhada da vida.
A nossa paranóia social, nos faz pensar que todo mundo está bem e a casa está caindo somente na nossa cabeça. Pura falsidade!!! Essa é uma visão disseminada. Temos fraquezas e ás vezes bem graves. Tem horas que as lágrimas fazem parte das maçãs do rosto. E nós achamos que estamos no fim do mundo!! Pois somos motivados todo o dia para sempre vencer, não há ninguém ensinando a perder, não há ninguém que mostre atitude ao perder, mas na maioria das vezes que perdemos buscamos outra coisa para encher nosso ego.
É mas quando se abate a consciência de que há dias de perdas, sabemos que Deus trabalha por nós. Então alguém vai perguntar, que benção tu recebeu? A benção de encontrar por ae um  monte de gente que necessita de um sorriso, de um abraço, a benção de simplesmente acordar todo o dia e fazer algo novo, porque me é dada  a chance de usufruir do dia chamado Hoje, a benção de ter uma família, alimentos, trabalho, amigos e de ser eu mesmo. Tendo a oportunidade de deixar o 'si mesmo' e saber que eu sou de verdade. 
Te damos graças porque tu és bom, óh Deus, e as suas misericórdias são para sempre!

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Você está desviado?

Desviados do Caminho de Deus ou da Igreja?

O Caminho de Deus em nós vai do pesado para o essencial. Vai da total dependência a outros até que se chegue apenas à total dependência de Deus!
Nascemos e somos completamente dependentes de cuidados de outros. Nossos pa
is e ou nossos guardiões nos são essenciais. Sem eles não sobrevivemos. No entanto, chega a hora em que ficarmos menos e menos dependente dele será a nossa saúde e salvação nesta existência. Enquanto moramos com eles ou somos por eles sustentados, temos que lhes ser dependentes, pelo menos no que diz respeito às decisões que pretendemos tomar na vida. Entretanto, vem a hora quando a saúde de ser nos compele a vivermos de nosso próprio sustento, e, além disso, impõem-se a necessidade de termos nossa própria casa e família. Então, deixamos pai e mãe, nos unimos a um outro, e fazemo-nos com ele ou ela uma só carne.
Com Deus é assim também. No início precisamos de muitos ajudadores espirituais. Sem eles somos como recém-nascidos indefesos neste mundo. Necessitamos que nos sirvam o genuíno leite espiritual. Chega a hora, todavia, que se espera que cada um cresça o suficiente para não mais dependermos de outros, mas apenas os reconhecermos como família espiritual, embora nossa vida seja vivida para além da necessidade de que outros nos sirvam. De fato, instala-se em nós outra a necessidade, que é a de servi-los.
Na viagem espiritual nascemos de Deus, mas precisamos muitos dos nossos guias e ajudadores na fé. Depois, no entanto, se espera que cada um cresça a fim de andar com as próprias pernas como resultado de nosso vínculo adulto com Deus na fé.
Daí em diante nossa relação com nossos pais espirituais passa a ser de carinho, gratidão e reverencia, mas já não de dependência. O mesmo se diz dos demais irmãos. Sim, os amamos e gostamos de com eles estar, mas já não por dependência. Surge apenas a alegria de amá-los e de servi-los. Todavia, já não necessitamos de ninguém para que sobrevivamos, talvez, exceto, no meio de uma grande crise ou calamidade. Espera-se que cada um aprenda a cuidar de si mesmo e de outros. E também espera-se que tenha na maturidade de seu casamento com Deus a sua própria segurança no caminhar.
Esse é o caminho para a maturidade tanto humana quanto espiritual!
Todavia, na maioria dos casos não é assim. E a razão é que “nossos pais”, no caso a “igreja”, nos “educam” para que j amais tenhamos tal autodeterminação em Deus. Desse modo, não somos educados para a vida, mas para a “igreja”. Daí a “igreja” criar eternos dependentes de si mesma, visto que pretende que seus “filhos” vivam sob suas asas; e mais: que a sirvam como filhos/escravos até ao fim da vida.
Seria e é [...] como se cada crente fosse e seja [...] como um adulto na idade, mas que vive com a atitude emocional de um bebê. Nesse caso, se qualquer coisa acontece [e acontece o tempo todo], a pessoa morre; posto que nunca aprendeu a viver de Deus e com Deus!
A “igreja” não quer que seus filhos se tornem adultos filhos de Deus!
Na realidade, a “igreja” cria filhos para ela mesma, não para Deus e nem para a vida. E, por esta razão, os filhos da “igreja” têm nela o seu “Deus”; e, nesse caso, jamais crescem para deixar pai e mãe, quando a idade chega, a fim de viver a vida com outra consciência.
É também por esta razão que os “crentes” vivem sem Deus no mundo o tempo todo; posto que a “igreja” [ou mesmo a Igreja], não seja Deus, mas apenas a família da fé.
Por esta razão, quando alguém se decepciona com “a família”, desvia-se de Deus; posto que para o crente a “igreja” é um “Deus”. É também por esta razão que todo crente que não esteja na “igreja” [por qualquer que seja a razão], sente-se desviado de Deus, além de que se declara que ele está de fato “afastado de Deus” em razão de não estar frequentando as reuniões “de família”, ainda que “família” seja louca ou totalmente tirânica e adoecida.
A verdadeira Igreja tem que ser como pais bons e conscientes que criam filhos para a vida em Deus!
Mas, infelizmente, não é assim na maioria dos casos. Afinal, o Cristianismo, em qualquer de suas versões, é Católico/Constantiniano, posto que ensine que “fora da igreja não há salvação”.
O problema é que muitos não têm essa compreensão, e, quando enxergam as “loucuras da família” afastam-se do convívio humano adoecido, não buscam mais nenhuma outra comunhão humana, e, no processo sentem-se separados de Deus para sempre!
Cada um de nós precisa de comunhão humana, tanto quanto se precisa de vínculos familiares. No entanto, mesmo que os nossos pais nos abandonem ou nos traiam, diz o Senhor: “Eu te acolherei!”
Mais uma coisa: todos os que assim discernem a vida em Deus, nunca ficam órfãos de irmãos!
Pense nisso, cresça e deixe a sua orfandade!
Nosso Pai tem muitos filhos!
Nele, que nunca nos deixa órfãos,
Caio 
www.vemevetv.com.br

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Compartilhar é bom...

Amados(as), Graça e Paz

Nesses últimos meses, venho compartilhando algumas mensagens do Caio Fábio, mentor do Caminho da Graça, através desse blog, onde também há um player da Vem e Ve TV com a mensagem do Caminho da Graça.
Sempre tive comigo que o objetivo deste blog era compartilhar a mensagem do Evangelho, com os muitos irmãos que tem acesso a internet ao redor do nosso planeta. Digo planeta, não para me exaltar, mas para agradecer aos que leem este blog em outros países, principalmente na Europa.
Sempre tive algumas preocupações em relação a vida cristã. Uma delas era ter experiências que pudesse compartilhar com as pessoas, mas sempre achei minha relação com o céu um pouco superficial. Outra preocupação era poder ter uma mensagem evangélica, ou seja, com a qualidade do evangelho para transmitir as pessoas.
Nestes dias aprendi que não basta preocupar-se com a mensagem, mas com o ser discípulo no caminho da vida. Para mim, amar virou o objetivo primeiro. A leitura da Palavra de Deus passou a ser alegria. O cântico virou um paixão.
Deixei de ser cristão de igreja, ou seja, que crê em Deus e em Cristo segundo os preceitos eclesiásticos, para ser um discípulo iniciante no caminho, pois eu que achava antes ser alguma coisa, descobri que tudo o que tenho é D'Ele e que tudo me foi presenteado.
Agradeço aos amigos(as) e irmãos(as), que me consideram amigo e sabem que trilho no caminho que foi proposto por Jesus Cristo. Ao que assim não entendem, nada posso fazer, pois a internalização da graça, não me deixa mais mágoas ( que antes eram muitas e com vários).

Estes são tempos difíceis... portanto vamos crer e esperar em Deus... pois ele á soberano sobre todas as coisas. Nosso papel no entanto é compartilhar, não só de forma escrita ou falada, mas meu desejo é compartilhar o brilho da luz que me ilumina. Que vem do Cristo Vivo. E assim meu coração salta de felicidade.


sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Pedido de Oração

Meus irmãos, quando tenho coisas para construir que envolvem outras pessoas, eu fico bastante ansioso. Peço que orem por mim, para que eu possa construir os projetos sociais, os quais Deus tem me dado o conhecimento para realizá-los. Sei que é difícil lidar com as diferenças de pensamento nesse mundo, existem muitas pessoas que ocupam lugar de destaque, mas que não conseguem aproveitar a oportunidade de realizar.

Tenho no meu coração, alguns projetos que envolvem o desenvolvimento sustentável de comunidades e pessoas. 
Podia eu, neste espaço pedir recursos financeiros, mas o que preciso é da oração em fé dos irmãos leitores para que possamos ajudar essas pessoas que estão necessitadas. Quero estar no lugar certo, para que estes projetos se realizem.

Quando alcançar essa grande benção estarei compartilhando com vocês aqui no blog.

Que Aquele que conhece corações e mentes vos abençõe.

Amilton Camargo
Lavras do Sul
24.08.2012

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

O que aprender com os Salmos


Por que alguém diria “Deus é bom para comigo desde a minha mocidade” — se isso não tivesse sido de fato verdade?

 
Pois é desse modo que os salmos nos apresentam as orações testemunhos que neles existem em abundancia.
 
A mais trágica expressão humana nos salmos, como quando se deseja a morte dos inimigos, ainda é carrega de esperança de vida; e, quando feitas, são sempre no acometimento de injustiças imensas; ou diante do exagero daqueles em cujas mãos eles haviam sido entregues, e que os tratavam com maldade desmedida. No entanto, ainda assim, os ecos das antigas orações sempre vêm carregados de fé e de esperança.
 
Até mesmo na depressão expressa em muitos salmos o que se vê é fé. Mesmo quando o salmo termina em trevas, como o 88, em estado de abandono, num poço de escuridão, o que se sente é que ainda assim existe um “tu, porém, estás comigo”; ou mesmo um “contudo o Senhor é a minha esperança”. Ou quando não se diga nada disso, o espírito, no entanto, é o de quem sabe que fala com Quem é e ouve.
 
A verdade dos salmos nem sempre é o que neles está dito; mas sim que o que está dito, foi como foi; ou seja: foi verdadeiramente o sentimento. Assim, falso ou errado o sentimento, sua expressão é divinamente sincera. É verdade.
 
Até mesmo a sinceridade equivocada é mais agradável do que a verdade falada de modo insincero.
 
Os salmos são desse modo pura sinceridade. Eles nos apresentam os homens falando com Deus de si mesmos, dos outros, do passado, do futuro, do presente; e falando de Deus para Deus. Eles ousadamente lembram a Deus Quem Deus é. Mas também descrevem a natureza da doença humana como em nenhum outro lugar.
 
O misterioso é que eles carregam profecias, especialmente de natureza messiânica.  
 
Jesus usou os salmos mais do que qualquer outro livro da Escritura. Paulo deles se serve com liberdade, e o mesmo o fazem escritores como o da Epistola aos Hebreus. Sem falar que o Apocalipse está impregnado de orações com estilo e conteúdos dos salmos.
 
Os salmos são viscerais e são quase sempre subjetivos na linguagem. Também são carregados de imagens tiradas do dia a dia, da geografia e seus acidentes; de animais; de situações de alegoria ou analogia extremas, como quando se é engolido por monstros, tragados por dilúvios, imerso no abismo da escuridão, perdido no meio do oceano, abandonado como cria indefesa no deserto, ou largado pelos irmãos num poço escuro.
 
A pulsão mais presente nos salmos é o espírito da ressurreição. Talvez, por isso, Jesus, depois de ressuscitado, mencionou os salmos com freqüência — assim nos é dito nos evangelhos, especialmente em Lucas.  
 
Por isso, os salmos tem sido medicina contra a morte na alma e no espírito por tantos milênios.
 
Eu amo ler e pregar nos salmos.
 
Os salmos tem sido alimento de sinceridade para minha alma no meu falar com Deus; e, ouvindo a Deus, muitas vezes deles me tem vindo a coragem de olhar para mim mesmo sem vestiduras ou defesas.
 
Não sei se isto que digo, e com a simplicidade e brevidade deste meu dizer, será útil a alguém no estimulo à leitura dos salmos. Mas se for de ajuda, muito me alegrarei com tal fato.
  Caio 22/02/08Lago NorteBrasíliaDF

quinta-feira, 26 de julho de 2012

AME A QUEM VOCÊ VÊ!


A grande realidade é que a tarefa do coração não é “ACHAR" uma pessoa amável para amar (tenha sido isto uma dádiva ou uma escolha) e ser capaz de continuar amando-a, não importando o quanto aquela pessoa mude em relação ao objeto-sujeito que um dia foi quando se começou a amá-la.
 De fato ninguém tem que ACHAR tal pessoa, basta não fechar os olhos a fim de não vê-la.
“Amar” é amar a pessoa que você vê!
 Foi exatamente isto que João, o apóstolo, nos ensinou, quando disse: “Aquele que não ama a seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê” (I Jo 4:20).
 Neste ponto, talvez valesse a pena a gente dar uma olhada no olhar de Jesus a Pedro, quando este o traiu na casa do Sumo-sacerdote Caifás.
Que outro olhar foi mais curador e divino?
Que olhar foi aquele? Terá sido um olhar repelente ou de rejeição?
 Certamente aquele olhar deve ter sido como muitos que recebi de meu pai e de minha mãe quando minhas ações me botavam em perigo.
Quando isto acontecia, o olhar deles não me falava de rejeição, mas de amor que queria me preservar para a vida, e me livrar de perigos.
 A questão é: Pedro estava em perigo ou estava se salvando do perigo?
 Poucos de nós entendemos de fato o significado de um dia haver traído um amigo, nesse caso, “O” Amigo.
Eu já fui traído por amigos centenas de vezes e sempre percebi que quem corria o maior perigo eram eles, não eu.
Também, quando traí, soube na carne como é o traidor e, também, que é o traidor quem sofre a mais infernal de todas as dores... Aquelas mesmas que levaram Judas a se matar.
Bem, isto para quem não “pedrou”... e perdeu a consciência para a cristalização em estado rochoso!
 Pedro Pedra! O que salvou você de ficar tão pedrado?
 O problema é que quando nos sentimos traídos e desprezados – sangrando sem poder estancar a dor – nem sempre nos damos conta de que quem corre risco é o traidor.
Todavia, Jesus viu isto claramente.
Ele viu.
Ele olhou.
Ou melhor: Fitou!
E o que ele viu?
Um traidor?
Um covarde?
Um ser sem raízes?
Não!
Ele viu um amigo em grande perigo!
Jesus não julgou que Sua causa estava perdida para sempre, apenas porque o amigo com o qual Ele mais contava não viera em Seu socorro.
Ele amava uma alma mais que o mundo inteiro!
O amor de Jesus por Pedro foi tão ilimitado que, amando a Pedro, Ele amava a pessoa que Ele via e que era real, não uma "projeção".
Nossos amores, na maioria das vezes, são idealizações; por esta razão não sobrevivem à traição.
 Jesus, todavia, jamais diria: “Pedro, você agora terá que me demonstrar, através de muitos anos de claro arrependimento, se você me ama ou não. Então veremos como vai ficar...”
A resposta dos olhos de Jesus só pode ser entendida pelo resultado obtido na vida de Pedro.
 O que teria então dito Jesus com o olhar?
- “Pedro, meu amigo; você é Pedro, o meu amigo; e eu amo você.
Tenha meu amor neste instante; porque se alguma coisa há de lhe ser útil agora, é a certeza de meu amor por você.
Somente meu amor poderá fazer de você um Pedro mais Pedro ainda.”
Jesus não ficou “de mal” com Pedro até que houvesse a demonstração de que aquele amigo da praia tivesse se tornado, indubitavelmente, outro homem.
Ao contrário, Ele preserva a amizade incondicionalmente; pois é em tal amor que o traidor pode encontrar redenção.
Ou será que alguém tem a pretensão de pensar que haveria um “outro caminho” para a salvação de Pedro?
Se houvesse; Jesus o "desconhecia"!

Nossa estupidez é tão grande que quando acontece de um amigo “mudar para pior” (conforme nosso entendimento) nós pensamos que isto nos desobriga de amá-lo.
Pobres e cegos que somos...
O verdadeiro amor só conhece o seu próprio caminho; e é somente nele que se pode “salvar” o traidor sendo seu amigo! Especialmente, depois da traição!
Este, porém, é o Caminho de Jesus.
Nós temos a ousadia de ter nossos próprios caminhos; todos eles fundados nos mais “nobres princípios”.
O que Jesus está ensinando é chocante:
“Ame a Pedro na noite da traição, e o meu olhar sempre olhará você como você olhou para ele. Pois eis que em sua vida há muitas traições; e eu as vejo!”

Assim, não invente alguém para amar.
Ame a quem você vê. E, como é óbvio, amor aqui é Ágape não é Eros.

Caio

terça-feira, 24 de julho de 2012

Amor: Ágape versus Eros


Ágape denota o amor de relacionamento e não pontual, não é um amor baseado em reciprocidade ou em motivos para se amar, ama-se o que se é e não o que se faz.

Éros é o amor que busca uma troca ou recompensa, por isto utilizado – também – em relação à sexualidade, é o amor que foca no que se faz e não no que se é.

O grego possui – entre as mais usadas – três classificações para “amor”: Ágape (agaph), Éros (rwV)e Philia (filia)que é amizade.

Diferenças: utiliza-se o Ágape para quem está abaixo de você e que não terá condições (incondicional) para retribuir o seu amor, utiliza-se o Éros para quem está acima e que terá condições (condicional) para retribuir, utiliza-se o Philia (verbo philéo) para quem está em seu mesmo nível e terá as mesmas condições que você de retribuir.

Fonte: CaioFábio.net

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Pesquisa mostra perfil dos desigrejados

O BEPEC - Bureau de Pesquisa e Estatística Cristã, divulgou um resumo de uma pesquisa recente que envole os desigrejados - pessoas que se confessam cristãs, sem vínculo institucional eclesiástico - que coloca o perfil dessas pessoas. A pesuisa envolveu 1,8 milhão de entrevistados. Eles consomem 45% mais livros que a média dos evangélicos e não são novos na fé.
Opinião: Acho que está na hora da igreja institucional buscar entender este fenômeno que alcança proporções impresisonantes.
Leia todo o resumo da pesquisa em Genizah.

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Sinceramente - Vencedores por Cristo


Sinceramente eu preciso encontrar
Outro caminho, outra vida levar
Sinto que existe um motivo melhor
Para viver, por quê lutar,
Sem iludir, só amar...
Ouço falar por aí sobre Deus,
E que nas trevas a luz Ele traz
E satisfaz suas vidas, também.
Buscam o bem, gozam a paz,
Tem um motivo pra crer.
Vão correndo pra Deus
Esperando um caminho melhor.
Se realmente é verdade o que ouvi,
São tantas coisas eu posso sentir
Que vão encher o vazio de mim
Nova canção, quero cantar
Quero este amor abraçar.
Vou correndo pra Deus
Certamente um caminho melhor! 

terça-feira, 3 de julho de 2012

Igreja????



É ASSIM QUE RESUMO QUANDO ME PERGUNTAM SOBRE A IGREJA 

[01] De quem é a IGREJA?
De Jesus de Nazaré. 
Mateus 16.18 

[02] Quem é IGREJA?
Os que Ele mesmo transportou do império das trevas para o Reino do Filho do seu amor.
Colossenses 1.13

[03] Como e por quem a IGREJA é liderada?
Por aqueles que sabem que a igreja é dEle e não querem lidar com ela senão do jeito que Ele lidaria.
1 Pedro 5. 1-4

[04] Como vivem os da IGREJA?
Com o mesmo sentimento que houve nEle, o Dono da Igreja, isto é, o amor que O fez se esvaziar de si mesmo e ficar com a nossa cara.
Filipenses 2.5-11

[05] Para que serve a IGREJA?
Para avisar a humanidade que em Cristo o Eterno se reconciliou com toda criação e que só há um jeito de viver: amando aquele que tanto nos amou e amando aqueles a quem Ele amou e por quem se entregou.
2 Corintios 5.18-21


Carlos Bregantim

terça-feira, 19 de junho de 2012

QUEM FEZ VOCÊ CRER NO SUCESSO DA IGREJA SEGUNDO ESTE MUNDO?


Até ao 4º Século desta Era nenhum discípulo cria que viveria para ver a Igreja ser qualquer coisa além de um Fermento, uma Luz, um Sal na vastidão da terra, um Pequeno Rebanho entre Lobos, uma pequena Semente que cresceria como sombra e lugar de agasalho; mas não de triunfo.

Ora, e isto tudo ainda em meio a divisões internas, a apostasias, a negações, perversões e mortes espirituais de muitos grupos que, antes haviam crido, mas que, ante a imposição “da espera” [...] perderiam a fé; e, portanto, escandalizar-se-iam, trairiam, desistiriam; ou, então, tornar-se-iam “maus” e aproveitadores dos demais — conforme várias parábolas de Mateus, Marcos e Lucas nos deixam ver...

Todavia, o paradigma foi mudado para sempre nas falsificações das esperanças da Igreja que foi virando “igreja”, quando o Império Romano ungiu a “Igreja” e criou o “Cristianismo” como poder terrestre e mundano.

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Minha vida é obra de tapeçaria...

Tapeceiro - Stenio Marcius



Tapeceiro
Grande artista
Vai fazendo o seu trabalho
Incansável, paciente
No seu tear
Tapeceiro
Não se engana
Sabe o fim desde o começo
Trança voltas, mil desvios
Sem perder o fio
Minha vida é obra de tapeçaria
É tecida de cores alergres e vivas
Que fazem contraste no meio das cores
Nubladas e tristes
Se você olha do avesso
Nem imagina o desfecho
No fim das contas
Tudo se explica
Tudo se encaixa
Tudo coopera pro meu bem
Quando se vê pelo lado certo
Muda-se logo a expressão do rosto
Obra de arte pra honra e glória
Do Tapeceiro
Quando se vê pelo lado certo
Todas as cores da minha vida
Dignificam a Jesus Cristo
O Tapeceiro.

quinta-feira, 14 de junho de 2012

Os cristãos precisam saber...

Pense: O Cristianismo é uma criação humana, depois de 300 anos da ressureição de Jesus. O Cristianismo pede emprestado muitas linguagens da Palavra de Deus, mas ainda não é o evangelho puro e simples que as pessoas vivem. Muitos cristão vivem o evangelho, mas aqueles que praticam o cristianismo, como estilo de vida, se afastam dia-a-dia do Evangelho.
Nenhuma religião poderá mudar aquilo que Jesus ensinou Sereis meus discípulos se fizeres o que vos mando - No entanto muitos estão preocupados em construir templos e propagar a Lei como meio de agradar a Deus e a Graça como atrativo inicial. E as pessoas acabam vivendo nesse limbo entre a Lei e a Graça, vivendo uma dualidade no ser.
As raízes do Cristianismo Constantiniano [aliás, o único Cristianismo, posto que Jesus nunca tenha fundado nenhuma religião ou Cristianismo] — determinam até hoje quase tudo aquilo que a “igreja” chama de “Deus”, de “Jesus”, de “Igreja”, de “Doutrina”, de “Poder”, de “Estado”, de “Direito”, de “Ciência Teológica”; e está presente em todas as formas de governo e disciplina na “Igreja”. 


Jesus veio para nos trazer vida e vida abundante.

terça-feira, 29 de maio de 2012

Des-via-dos

A maior parte dos “des-via-dos” que encontro pelo caminho não estão num des-vio em relação à Jesus, mas tão somente fugindo dos ferrões das "Cabas de Igreja". Caba de Igreja é o nome amazonense para marimbondo! Geralmente, os que estão no des-vio em relação a Jesus, são os que ferroam como Cabas de Igreja e perseguem os irmãos. Daí eles não se "desviarem". Eles é que expulsam! As Cabas de Igreja picam venenosa e doloridamente! É deles que muitos fogem, sofrendo e pensando que é de Deus que estão se des-via-ando. 


Não cometa esse engano. No entanto, saiba: há um remanecente da Graça de Deus presente na terra. Procure os irmãos. Você os achará. É fácil conhece-los. Todos eles são genuinamente misericordiosos! Os misericordiosos conhecem a miséria à partir de si mesmos. São gratos pela Graça. Por isso, a misericórdia é o ar que dão aos outros, pois sabem que é do mesmo ar que também respiram! Caio

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Graça ou Des-graça?


 
 Caio, graça e Paz. 


Gostaria de lhe perguntar uma coisa, pois eu não tenho para quem.
Eu tive a consciência da graça de Deus e do que é estar em Cristo. Que em Cristo somos inculpáveis, irrepreensíveis diante do Pai, não por obras, mas pela fé na justificação por Cristo. Mas por errar, acabei por retornar à antiga consciência... Como estou ouvindo neste momento sua mensagem sobre Hebreus 12, pensei que voltei ao fogo palpável e ardente, e à escuridão, e às trevas, e à tempestade...
Seria então que, na verdade, eu nunca tenha chegado realmente à verdadeira justificação pela fé? Visto que ela sempre se vai?
Não se transformou em vida e em certeza absoluta em mim, pois, voltei aos rudimentos pobres novamente...
Eu não agüento mais isso cara...
É muita paranóia acordar e respirar fundo apavorado como se realmente "querendo herdar a bênção, foi rejeitado, pois não achou lugar de arrependimento, embora, com lágrimas, o tivesse buscado."
Sinto que estou indo de volta ao monte Sião desta vez... — hora fé e paz; hora medo e paranóia; hora amor de Deus e certeza; hora não existe Deus e um monte de paranóias...
Peço que me ajude.
Obrigado por esta mensagem em Hebreus12, me mostrou a luz novamente.
Fique com Deus.
___________________________________
Reposta:

Mano amado: Graça e Paz!

Se você tivesse realmente entendido o que preguei e prego, creia: você não teria chegado ao entendimento errado e paranóico que hoje o assola outra vez...
De fato, o que você está tendo é um retorno psicológico ao padrão culposo, neurótico e paranóico da velha religião.
Os “rudimentos” dos quais Hebreus nos fala não são erros morais e humanos, mas sim decisões de consciência contra o ensino de Jesus.
Ou seja: “os rudimentos” significavam um retorno à Lei e aos cerimonialismos judaicos, em contraposição à liberdade em Cristo.
Crucificar a Jesus a segunda vez”, naquele contexto, é voltar à Lei como agente de salvação e santificação autônomo, como justiça-própria.
Sinto que sua paranóia, entretanto, é mais séria, pois, há sinais de uma recorrência perigosa, e que, em geral, pode fixar um padrão mental psicótico.
Assim, se me escreveu, creia no que lhe digo em nome de Jesus.
Você não é um “Esaú”. Pare com isso. Sua angustia é de alma, não uma persuasão do Espírito de Deus.
Sim! Sua angustia é fruto da doença religiosa da culpa e da justiça-própria.
Mano, muito do que se ensina na Religião acerca de “Deus”, de “Jesus”, da “Bíblia”, etc. — é coisa do diabo.
O Acusador é o diabo.
Jesus é o Advogado.
Você crê que Jesus acuse você?
É claro que não!
Entretanto, saiba que você não precisa nem mesmo do diabo para enlouquecer você.
Sim! Basta a religião e seus infindáveis ecos de culpa e acusação.
Portanto, mano, pare com isso...
Não brinque de enfrentar esses fantasmas, pois, o poder deles está no fato de sua inexistência, o que faz com que você seja o “produtor” deles.
Ora, nesse caso, o perigo é que a coisa toda possa virar doença na mente... em razão da continuidade e da chocadeira que você oferece aos pensamentos negativos.
Assim, creia no que lhe digo e pare já com essa mania de se autojustificar.
Você está salvo, perdoado e justificado em Jesus!
Digo isto exercendo a autoridade de Jesus, a Quem conheço, e de Sua Palavra, que me dá tal autoridade espiritual.

Nele, que nos chama à certeza de que nossas certezas não são as certezas que nos garantem a Certeza da Vida, posto que essas venham apenas de nossa Confiança no que Ele fez e Consumou para sempre,

Caio
Veja a mensagem Completa no CaioFábio.net


A carta desse jovem eu vivi, muitos dias. Pois sabendo do poder da Graça, pelas mensagens e conselhos que ouvia, sentia muitas vezes a vontade de voltar para a auto-justificação humana. Mas meu sentir, é que só há um caminho para a liberdade.
Aceitei o Presente de Deus, e fui liberto do pecado que me açoitava não só o corpo, mas a mente.
Não basta saber sobre a Graça, sobre Jesus, sobre a Cruz, temos que crer, que não existe condenação para os que em Jesus Cristo já foram libertos.
Meu coração vivi hoje, uma liberdade, mas sei, que tenho uma missão, dada pelo próprio mestre e agora estou me preparando para iniciar minha missão. Não minha, mas de muitos que são chamados a ser luz e sal.

Um abraço, Amilton.

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Fé e Mudanças Climáticas

 A Bíblia conta vários relatos da Ira de Deus, em que sobrevinham adversidades, secas, chuvas, terremotos, sendo que os judeus interpretavam como Ira de Deus.
Hoje, alguns creem na Ira de Deus como resultado da desobediência dos homens em relação aos mandamentos divinos, outros não. O que eles faziam? oravam pela nação, para que Deus aliviasse a calamidade.
Mas esse não é o assunto que quero abordar, pois isto é só conjectura humana visto que não conhecemos a mente de Deus e as coisas que acontecem.

No mundo temos 3 religiões monoteístas, que creem que Deus pode interferir na história humana, fazendo um movendo sua mão para abençoar através das orações.
Eu tão bem creio nisso. Jesus disse, que a oração pode muito em seus efeitos, que o que pedíssemos crendo receberíamos.
Isso pressupõe que estaríamos numa relação entre Pai e filho, e que nesse relacionamento com o Pai, tudo o que pedíssemos e que fosse bom, ele nos atenderia com alegria.
Hoje no Brasil, 89% da população se identifica como cristã, tendo catolicismo como religião mais de 73% da população e mais 26 milhões de evangélicos protestantes.
E daí?

E dai que se existe ma população tão grande que crê em Deus, qual o objeto das nossas orações? Pois estamos vivendo um período de extrema seca no Nordeste e no Sul do Brasil e de Chuvas torrenciais no Litoral Nordestino e no Norte do País.
Sabe o que acontece, nossa oração só vê nossos problemas, estamos focados em nós mesmos, queremos ser abençoadas e não pedimos nada a Deus em relação aos outros, nossa oração se estende no máximo para nossa família. Não oramos pelo nosso bairro, nossa comunidade, nossa cidade, nossa região, pelo nosso país, não vemos as milhares de pessoas que estão a nossa volta.

Isso é resultado do esvaziamento do ser. resultado do "minguar" do amor e da ênfase religiosa na vitória pessoal.
Que Deus ajude a orar por todos, principalmente aos que sofrem com as mudanças climáticas.

Você pode dizer: cara isto é resultado do nosso modo de vida poluente e gastador de recursos naturais. Então oremos para que Deus conduza os cientistas e governantes para alternativas mais sustentáveis de vida no planeta.



Como assim creio, continuarei orando pelos povos que estão sofrendo no mundo.

Nele, que orou por nós, antes que crêssemos ou existíssemos.

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Me perdendo e me achando!

Negue-se a si mesmo.

Este pequeno mandamento de cristo, está me deixando reflexivo, desde domingo.
Porque tenho que negar a mim mesmo?
Analisemos o seguinte:
Jesus estava indo para a Cesaréia de Filipos, quando perguntou quem dizia o povo que ele era.
Bom a resposta do povo é que era alguém de Deus (um profeta, ou Elias, ou Moisés).
Logo após ele vira para os discípulos e pergunta o que eles diziam:
Pedro diz: Tu és o Cristo, o Filho do Deus Vivo.
Jesus responde que isto foi revelado a Pedro por Deus.
Daí Jesus muda o discurso e começa a falar em perseguição, cruz e morte.
E Depois para quem pode ser seu discípulo.
O cara pra ser discípulo tem que negar a si mesmo.
Quando negamos o si mesmo, quem aparece sou eu.
Porque o SI MESMO, é um média das opiniões, discursos, visões do que as pessoas a nossa volta e hoje o mundo globalizado exerce influência sobre nós.
Negar a si mesmo, é negar os prazeres da média global, para deixar florescer quem sou eu.
A roupa, a comida, o tempo, o trabalho, o modo de ser, hoje é tudo influência do MUNDO.
Seja você mesmo, sendo assim, você consegue ver a necessidade que cada um sente de Deus, sem as coisas do mundo, muitos se sentem vazios.
Porque sua imagem e semelhança é conforme essa média do Mundo e não conforme Deus.

Eu creio que todo o ser humano que negar a si mesmo, se direcionará para o Caminho de Deus.

"Porque quem perder a sua vida acha-la-á."

Leia e Reflita  em  Mateus Cap. 16 Vers.  13 ao 28.